Os Exploradores!

Na minha terra,Belo Horizonte,quando alguém é irrequieto e não consegue ficar muito tempo parado no mesmo lugar,dizemos que o fulano comeu perna de cachorro.Este blog é para isto:compartilhar com nossa familia e nossos amigos,um pouco de nossas aventuras pelo mundo,traduzindo em imagens e palavras,uma grande paixão,viajar!
Valei-me São Richard Burton, eis que aqui se encontram as fotos e as sucessivas desventuras em série de Sérgio e Ariane, na sua missão de encontrar novas vidas, novas civilizações, audaciosamente indo onde, nenhum gajo, que não passou além da Tapobrana, jamais esteve...

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

As múmias crianças de Llullaillaco

SALTA , ARGENTINA .

No início da década de 90 , uma descoberta no norte da Argentina abalou o mundo da Arqueologia e da História  : As múmias de Três crianças incas , em perfeito estado de conservação, foram  encontradas na cratera do vulcão Llullaillaco  , próximo da cidade de Salta.


As crianças , no local onde foram encontradas.

O achado entusiasmou estudiosos das civilizações pré-colombianas e revelou , quase integralmente , o bizarro ritual de oferendas humanas , particularmente crianças , comum entre os Incas ,lançando novas luzes sobre esta desenvolvida e misteriosa civilização .

Todos os anos , as quatro regiões ,ou “Suyus” ,que compunham o chamado “Tawantinsuyu “ (O nome do Império Inca , em Quéchua , sua língua nativa) ofereciam ao Monarca , o Filho do Sol , algumas de suas crianças , escolhidas sempre entre as mais belas e saudáveis .

 Estas crianças eram levadas em procissão até Cusco , a capital , cercadas de presentes , comidas e festejos . Em Cusco ( o “umbigo do mundo “ , em Quéchua ) elas eram apresentadas ao Imperador que as consagrava a Inti , o Deus-Sol . Para as famílias incas ter uma criança escolhida para este ritual era uma honra e uma imensa alegria , associadas a prosperidade , à fertilidade e à fartura da colheita .
Abençoadas , as crianças eram devolvidas aos seus respectivos “Suyus”  para onde retornavam sob júbilo e glória . Eram então embriagadas pela ingestão da ” Chicha “ bebida sagrada obtida a partir da fermentação do milho roxo e levadas até uma montanha ou vulcão de grande altitude , onde eram deixadas adormecidas para morrer de frio . Na crença “Quéchua” , Inti vinha buscar suas almas para junto de seu convívio

O ineditismo do achado de Llullaillaco reside na perfeita conservação , não só das múmias ,mas de todos os utensílios e brinquedos dispostos em sua morada final .
Para abrigar este Tesouro , o Governo Argentino , ergueu um Museu à altura de sua importância na cidade de Salta , capital da província de mesmo nome . O MUSEU DE ARQUEOLOGIA DE ALTA MONTANHA é a jóia da coroa do turismo do Norte da Argentina  e sua estrutura física e exposição condizem com a importância da descoberta .

O PERNA DE CACHORRO teve o privilégio de conhecer este espetacular museu ,que passamos a descrever .
Tudo no MAAM , onde são proibidas fotografias ,é voltado para o acervo de Llullaillaco . As salas são climatizadas com um frio intenso que emula o ar gélido da montanha e uma trilha sonora reproduz o ruído dos ventos e tempestades de neve .
As primeiras salas mostram os equipamentos e as fotos da expedição arqueológica , com manequins vestidos com a pesada indumentária usada pelos cientistas ,exigida para este tipo de exploração.

A "Donzela" sendo preparada , pelos cientistas do museu , para exibição  .

Em seguida vitrines exibem os brinquedos e oferendas encontrados junto às crianças , todos em perfeito estado de conservação , garantido pelas baixas temperaturas da cratera do vulcão , inclusive os adornos feitos com plumagens . Numa amostra de que o machismo é ancestral ,os brinquedos do menino incluem soldadinhos e armas e das meninas panelinhas e outros utensílios domésticos .


Brinquedo encontrado junto ao "Menino "

O gran finale da exposição , obviamente são as múmias , expostas numa redoma de vidro , onde se tem a opção de apagar as luzes , haja vista que as imagens podem ser – e são ! – chocantes . Trata-se afinal da visão de 3 cadáveres , perfeitos e intactos , que pode ferir as pessoas mais sensíveis .
São três as crianças , que receberam como nomes : “A menina do raio “ , devida a um ferimento em seu rosto , possivelmente causado por descarga elétrica , “A Donzela “ , por ser a mais velha ,próxima dos 15 anos e “ O Menino “ , o mais jovem com cerca de apenas 6 anos  . Os três nunca são expostos simultaneamente , para sua melhor conservação, e o rodízio de exibição muda a cada 6 meses . Durante a nossa visita , o exposto era “ O Menino” .



A "Menina do Raio " e suas feições perfeitamente conservadas .


Se Salta é uma joia do norte argentino , o MAAM é sua pedra mais preciosa .
Não perca .


ESCLARECIMENTO :
AS FOTOS USADAS NESTA CRÔNICA SÃO DE ARQUIVO , OBTIDAS NA INTERNET , DEVIDO À PROIBIÇÃO DE TOMADAS DENTRO DO MUSEU .


O Museu fica em um prédio histórico da Praça 9 de Julho , completamente readaptado as suas novas funções , com modernas instalações e equipamentos . 


FAÇA A COISA CERTA :  MUSEU DE ARQUEOLOGIA DA ALTA MONTANHA
Endereço : Calle Bartolomé Mitre , 77 , Centro , Salta Argentina .
Horário de funcionamento : De Terça a Domingo , de 11:00 às 19:30 hs
Sítio Eletrônico :  www.maam.gob.br


quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

À MESA COM GABO

La Mulata , a indicação do "Perna" em Cartagena

 


Impossível caminhar por Cartagena , sem a onipresença de seu escritor mais ilustre , Gabriel Garcia Marquez ( Tá bom , eu sei que ele nasceu em Aracataca !).





Seus personagens saltam de seus romances para as ruas , igrejas e arcadas da velha cidade murada , nos convidando a imaginá-los, como um dia Gabo os criou . Sierva Maria , Fermina Daza , Florentino Ariza , Padre Cayetano Delaura cruzam permanentemente com turistas e moradores através das cores , aromas e sabores desta cidade morena .

Aguçando os sentidos , a cozinha dos livros do Premio Nobel de Literatura está presente em Cartagena nas frutas exuberantes das palenqueras , no cheiro de marisco e pescado , nos quitutes do "Portal de los dulces" que remetem aos doces conventuais do Convento de Santa Clara . 
É esta cozinha , saborosa e sensual , que o PERNA DE CACHORRO  vem destacar e personificar num Restaurante charmoso e despojado , situado dentros dos muros do bairro velho : La Mulata .

Depois , em outras matérias contaremos de outras descobertas gastronômicas .




Os ambientes são bem servidos de ar refrigerado , condição essencial mo calor absurdo de Cartagena .


Ocupando um casarão antigo e amplo , o La Mulata tem por lema "Cozinha honesta" , o que descreve bem seu requinte culinário ,casado com ótima relação custo/benefício . 

A decoração é eclética , bem do jeito que nosso editor( eu mesmo)aprecia  cheia de quadros , esculturas e retratos que vão de Carlos Valderrama  a Fidel . Mais pop impossível ! Sem falar na miríade de peixes e cenários náuticos espalhados pelo teto , no melhor estilo "Cassino do Chacrinha" .

 Logo na chegada , você é mimado com uma suculenta sopa de pescado  , de cortesia . Dá para regular a quantidade de coentro ( cilantro , para eles) a níveis menos soteropolitanos , ao gosto do freguês , como é o meu caso .



Os pratos principais , invariavelmente frutos do mar , afinal você está no Caribe , obedecem ao que os cartageneros chamam de "Comida Corriente " , que seria próximo dos nossos "Pratos do dia" , só que com mais opções . Desta forma , a cada dia perfilam entre 8 a 10 variantes que incluem risotos , ensopados , empanados , quase sempre acompanhados do "Arroz de coco" iguaria local , ligeiramente adocicada e acastanhada . Ah .. e com um charme a mais :Uma indolente folha de bananeira a forrar todos os pratos .
Estivemos no La Mulata , três vezes na mesma semana e , entre refeições e "beliscadas " experimentamos uma meia dúzia de receitas diferentes . A marca de todas é o esmero na elaboração , a suavidade e harmonia na combinação de temperos, locais ou não , surpreendendo qualquer tipo de paladar , neste mundo tristemente globalizado e pasteurizado .


Um dos salões troca a refrigeração artificial pelo frescor de plantas ornamentais e ventilação natural . Ainda assim , eu sugiro o bom e velho ar condicionado . Fica ao seu critério qual comedor escolher .
É isso ! Pode ir com o espírito desarmado  deixar-se seduzir por este lugar !



FAÇA A COISA CERTA :

EndereçoCalle Quero 9 58 , Cartagena De Indias,  Colômbia
Horário: Todos os dias , exceto segundas feiras .



segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

MUSEU DO OURO - ZENÚ


Cartagena conta com uma filial do mais importante museu colombiano .

Quem vai a Bogotá não deixa de visitar o badalado Museu do Ouro , principal braço cultural do Banco da República e dono de um acervo excepcional de arte pré-hispânica colombiana .

A boa notícia , para quem visita o país , é que esta preciosidade não se restringe à capital . Santa Marta , Armênia , Pasto , Cali , Cartagena e até nossa vizinha Letícia , ao lado da amazonense Tabatinga, dispõem de filiais do Museu , com coleções não menos impressionantes , voltadas para as civilizações e culturas de cada local contemplado .

O PERNA DE CACHORRO já havia mostrado , anteriormente , a sede de Bogotá ( veja no link  : http://pernadecachorro.blogspot.com.br/2010/05/miseo-del-oro.html  ) e agora explora as belas exposições de Cartagena .


Chamado Museo del Oro Zenú , esta unidade contempla , principalmente , a arte e a cultura do povo
de mesmo nome , que habitou o norte da Colõmbia até a chegada dos espanhóis . Hábeis ourives , dominavam as técnicas de escultura (em cera de abelha ) , moldagem em barro e fundição , de forma semelhante às técnicas ainda hoje empregadas pelos dentistas . O museu está localizado em um majestoso palacete , de frente para o Parque Bolívar  , do século XVII, que pertenceu a Pedro de Herédia , o fundador   espanhol de Cartagena .





Além da ourivesaria , os zenús dominavam as técnicas de cerâmica produzindo vasos , utensílios ,adornos e urnas mortuárias , como as da foto acima .




Apesar do calor sufocante da cidade , o museu conta com boa infra-estrutura com salas bem sinalizadas, notas explicativas  e um celestial ar condicionado ,que faz os visitantes quererem prolongar a visita .

O museu (acredite!) não cobra entradas . Mas é aconselhável contratar um dos muitos guias que ficam na recepção ( autônomos) para uma melhor contextualização das coleções  e aproveitamento das visitas . É claro que eles falam o básico do básico , mas é uma cultura tão exótica para nós ,que compensa a presença do guia .



Além de peças da cultura Zenú , o povo Tayrona também é contemplado pelo museu , embora seu acervo principal esteja na Filial de Santa Marta .



A riqueza de detalhes dos trabalhos de ourivesaria impressiona . Pingentes , bastões , peitorais e uma série de adornos e objetos encantam os visitantes .




FAÇA A COISA CERTA : 
MUSEO DEL ORO ZENÚ - CARTAGENA 
Centro, Carrera 4 No. 33-26, Parque de Bolívar.
Telefones. (575) 6600778
Entrada gratuita.
Horarios
Terça a sábados
9 a.m. a 5 p.m.
Domingos y feriados
10 a.m. a 3 p.m.




sábado, 14 de maio de 2016

Estação Pasteur /AMIA - O atentado de 1994


Em 18 de Julho de 1994 , um terrível atentado terrorista abalou a Argentina . Um carro bomba foi atirado contra a sede da Associação Mutual Israelita Argentina (AMIA) , no bairro de Balvanera ,resultando em 85 mortos e centenas de feridos .

A história da apuração do crime é marcada por idas e vindas , acobertamento de culpados , conivência de autoridades e até hoje continua sem o esclarecimento definitivo .
A suspeita mais forte aponta para a atuação de membros do grupo Hezbollah ,com a anuência do governo Iraniano , em represália ao cancelamento de um acordo de transferência de tecnologia ao país .

Mais recentemente ,a Argentina ,que possui a sétima maior colonia judaica do mundo , foi abalada novamente pela morte ou suicídio do promotor Alberto Nisman que cuidava do caso .

O PERNA DE CACHORRO não tem competência para entrar no mérito do processo ,mas descobriu um sitio interessante na cidade relacionado ao caso .

Na verdade , ficamos hospedados num hotel (BA Central) ,situado nos fundos da antiga sede da AMIA e, próximo dali , encontramos uma Estação do metrô portenho inteiramente dedicada à memória do atentado e ao protesto contra a impunidade dos culpados .


A antiga estação Pasteur do Subte argentino , situada na avenida Corrientes , foi renomeada "Pasteur -AMIA " e transformada num espaço para reflexão e memória sobre o bárbaro atentado .

Logo na entrada , há uma exposição permanente de fotos mostrando os escombros e as buscas ,após a explosão , além de imagens da antiga Associação . Um enorme quadro luminoso lista também os nomes , de cada uma das 85 vítimas fatais .

Mas é na parte inferior , junto às plataformas de embarque dos trens ,que está a parte mais bonita do memorial. Cerca de 20 dos mais importantes cartunistas e desenhistas argentinos se uniram para criar dezenas de painéis sobre azulejos , mostrando em forma de arte ,a ferida aberta no seio da sociedade nacional pelo crime .Quino (Mafalda) ,Nik (Gaturro) , Maitena( Mulheres alteradas) , entre outros , cobram ,unanimemente , pela apuração dos fatos e o fim da impunidade dos culpados .
Difícil não se emocionar .





Logo na entrada , a memória da vítimas .
De forma respeitosa , os cartunistas mostram sua visão da barbárie

Difícil ficar indiferente .



FAÇA A COISA CERTA - Estação Pasteur -AMIA
Linea B -Metro (Subte) de Buenos Aires
Endereço : Avenida Corrientes esquina com Calle Pasteur

DEUS SALVE A BANDEIRA INGLESA



                                                                BODAS

                                       Ney Matogrosso
                                       (...)
                                       Chegou no porto um canhão
                             De repente matou tudo, tudo, tudo, tudo
                             Capitão senta na mesa
                             Com sua fome e tristeza-eza-eza-eza
                             Deus salve sua rainha
                             Deus salve a bandeira inglesa (...)
De que a Inglaterra é a maior nação pirata do mundo , não paira dúvida.Um país riquíssimo ,que nunca produziu absolutamente nada ( os Beatles e o Gordon Banks não contam )e sempre se locupletou às custas das riquezas alheias , saqueadas lícita ou ilícitamente.
O que vem ao caso, agora, é que a Guerra das Malvinas não foi , nem de longe o único arranca-rabo importante entre os súditos da rainha e os hermanos do Prata .Além do conflito de 1982 e da invasão inicial das ilhas em 1832 , por duas vezes seguidas , em 1806 e 1807 , Buenos Aires foi tomada de assalto por tropas britânicas .Na primeira (La Defensa) conseguiu resistir e na segunda (La reconquista ) foi ocupada e depois retomada pelos argentinos.
Uma igreja no histórico e boêmio bairro de San Telmo é testemunha ocular destas pelejas . Em 1806 ,após vitórias iniciais , os ingleses tomaram a Basílica de Nuestra Señora del Rosário e , protestantes ,proibiram o culto à Virgem.O Vice-rei Santiago de Liniers ,prometeu então , ao vigário do local ,que tão logo recuperasse o controle da capital , lhe entregaria todas as bandeiras britânicas, tomadas em batalha .
Assim foi feito , Buenos Aires voltou às mãos espanholas e passado o quiprocó , as bandeiras foram doadas e hoje se encontram em exibição na bela Basílica , podendo ser visitadas em sua bela sacristia , ricamente ornada em mármore .
Assim ,quando for a San Telmo , especialmente nas animadas feiras de domingo , não deixe de passar pela igreja e tirar um pouquinho de onda desta (rara) derrota e humilhação anglo-saxã .
Eu lavei minha alma !
Oito bandeiras tomadas em combate podem ser vistas na sacristia da igreja .

Manuel Belgrano , um dos próceres da Independência Argentina está sepultado no átrio do templo







FAÇA A COISA CERTA :Endereço Calle Defensa ,442 .

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

PARQUE DA AVES - Foz do Iguaçu





A região da Tríplice fronteira , entre Brasil , Argentina e Paraguai tem muito mais atrações do que as famosas cataratas e compras de muambas . Boa gastronomia , história da colonização Jesuíta , aventuras radicais , enfim , uma gama de passeios que convida o turista acidental a permanecer , no mínimo , uma semana por aquelas bandas do continente .
Um dos lugares que não pode faltar na sua agenda é o PARQUE DA AVES , localizado no lado brasileiro , bem em frente ao Parque Nacional do Iguaçu .

O local é um refúgio biológico , criado por um casal de ecologistas alemães já falecidos , muito bem preparado e adaptado para o turismo , sem ferir suas características preservacionistas . O Parque é , inclusive , referencia para o IBAMA para o acolhimento de animais silvestres apreendidos por caça ilegal ou em situação de risco e é um programa imperdível para que tem crianças ou adolescentes em casa.
O lugar acolhe diversos animais em situação de risco 


Dentro do complexo , o visitante circula por uma trilha previamente estabelecida que passa por todos os viveiros disponíveis . Os ambientes são enormes ,separados por tela e reconstituem os habitats originais de cada espécie , permitindo que os pássaros interajam e convivam uns com os outros , construam ninhos e voem . Uma grande equipe de biólogos e veterinários garante a saude e qualidade de vida dos bichos .

Para conforto dos visitantes , uma estrutura completa de restaurantes , banheiros e lojas está disponível .Como pontos altos da atração , o PERNA DE CACHORRO recomenda o amplo recanto da araras , azuis e vermelhas , (que tem até cascata ) onde voce será surpreendido por voos rasantes destas majestosas aves sobre sua cabeça e o viveiro das harpias . Ali uma minuscula  câmera oculta exibe imagens , em tempo real , do ninho onde elas repousam e chocam seus ovos ( mas sem interferir nos seus padrões de vida ). Ao final , voce ainda poderá tirar uma foto com uma arara no braço .
Observe a altura do recanto das Araras e os ninhos nas arvores

O monitor transmite , em tempo real , as imagens da câmera oculta no ninho das harpias
 





FAÇA A COISA CERTA :
Endereço -Rodovia das Cataratas , KM 17 , Foz do Iguaçu -PR tel :35298282
SÍTIO ELETRÔNICO -  www.parquedasaves.com.br


quinta-feira, 4 de junho de 2015

A CASA DE LÉON TROTSKY


O túmulo onde repousam as cinzas do lider russo e de sua esposa Natália 



A Cidade do México tem muitos tesouros históricos . Preserva e expõe com muita competência a arte , arquitetura e ciência de Maias , Aztecas , Olmecas e tantos outros povos meso-americanos qua aqui viveram até a chegada dos espanhóis de Cortez .

Entretanto , conscientemente ou não , os mexicanos desdenham de um tesouro histórico , e consequentemente turístico ,que abriga em sua capital , a saber, a casa que serviu de refúgio e morada para um dos mais importantes personagens da história mundial : Léon Trotsky .

A casa , localizada no bairro de Coyoacán , encontra-se em estado lastimável , é pouco divulgada pelas autoridades e recebe um minguado fluxo de turistas semanalmente , apesar do espetacular acervo  e das instalações que contam uma das páginas mais tristes da politica do século XX.

Trotsky foi um dos idealistas , ao lado de Lenin , da revolução russa , que pela primeira vez  na história , conduziu ao poder um governo de trabalhadores . Após a morte precoce de Lenin , Stálin , um tirano com mais mortes que Hitler no currículo , tomou as rédeas do país e expulsou ou matou todos os seus potenciais adversários , entre eles , Léon Trotsky , que peregrinou por diversos países como Noruega e França .

Sempre representando um incomodo para seus anfitriões ,Trotsky foi sendo repetidamente expulso dos países por onde passou , até que, em 1937, o presidente Lázaro Cárdenas , de corrente populista , cedeu aos apelos do pintor comunista Diego Rivera e ofereceu asilo politíco ao russo no México.

Inicialmente alojado com sua esposa , na casa em que o pintor morava com  Frida Kahlo , no bairro de Coyoacán , na Cidade do México ,o lider bolchevique logo traria discórdia para aos anfitriões , ao se envolver amorosamente com Frida .

Em face deste acontecimento , muda-se para a casa que se tornaria seu túmulo e seu museu , a poucos quarteirões de distãncia .





A casa onde morreu o líder russo , em péssimo estado de conservação

Preocupado com a perseguição de Stálin , Trotsky reforça muros e blinda as portas e janelas de sua derradeira morada , além de se cercar de uma equipe de guarda-costas .




Trotsky vivia da renda de seus livros . Nesta mesa ele ditava seus textos num gravador rudimentar (ao fundo) que depois eram datilografados por sua secretária .

Sofre um primeiro atentado , e sai ileso , por parte dos Stalinistas mexicanos , liderados pelo muralista David Siqueros , que desfere dezenas de tiros de metralhadora contra a casa . Escapa milagrosamente ao deitar-se no momento dos disparos .





Um simpático guia , trotskista ,é claro , conduz a visita com enorme competencia .


Meses depois , sofre o atentado definitivo , perpetrado por um antigo servidor , na verdade um Stalinista infiltrado em sua equipe de segurança , que lhe desfere um golpe com um picador de gelo no crânio.


O escritório e a mesa onde Trotsky morreu
Uma boa solução para a revitalização do Museu Casa de Léon Trotsky seria a promoção de sua visita junto aos milhares de turistas que vão até a casa de Frida Kahlo , situada  a poucas quadras dali , além da divulgação desta fantástica atração nos canais oficiais de turismo do México , práticas , até agora , inexistentes .





Marcas dos tiros do primeiro atentado sofrido por Léon Trotsky.

A Fachada do museu
FAÇA A COISA CERTA : Endereço :Rio Churubusco 410, Del Carmen, 
Metro ; estação Coyoacán (Tome um táxi após chegar a estação ou caminhe cerca de 20 minutos)